Ir direto para menu de acessibilidade.

Mais um mês de queda na renda agrícola, porém no acumulado do ano continua positiva

Publicado: Segunda, 18 Agosto 2014 08:50

O Departamento de Administração e Economia da Universidade Federal de Lavras (DAE/UFLA) em seu trabalho mensal de coleta e divulgação do Índice de Preços Recebidos (IPR) e o Índice de Preços Pagos (IPP), referente a venda dos produtos agrícolas no Sul de Minas Gerais, apresentou como resultado do mês de Julho de 2014, com queda de -1,74 % e o os preços dos insumos agrícolas (IPP) sofreram aumento de + 0,4%.

No acumulado do ano de 2014 a renda média apresenta alta de 23,93%, porém desde o mês de maio de 2014 o IPR vem apresentando queda continua somando uma redução da renda neste período de -17,46%. No mês de julho os grupos que mais tiveram queda foram, os grão com -15,09% e a cana -14,6%. Essas quedas se dão a um fato normal na economia, pois estamos no período da safra, sendo assim com o aumento da oferta e a demanda permanecendo a mesma os preços tendem a cair.

Já as carnes tiveram alta de 8,28%, esta elevação se dá pelo fato das condições climáticas que afetam a engorda do gado e tivemos um fato atípico ao mercado interno brasileiro, uma elevação na demanda causada pelo evento da copa do mundo no Brasil, onde o consumo de carnes cresceu e o mercado não estava com excesso ou estoque o que provocou uma elevação dos preços, explica o Prof. Renato Fontes.

Os derivados agropecuários apresentaram elevação média de 1,37%. Estes produtos apresentam a característica de não estarem organizados em mercado de concorrência perfeita deste modo os produtores conseguem segurar as variações de preços da matéria prima por algum tempo sem repassar imediatamente ao consumidor.

No acumulado geral deste ano os grãos e a cana de açúcar, fecharam o mês negativos. Sendo os grãos em -13,90% e a cana em -1,37%. Já o café segue positivo em 50,88% no ano porem teve quedas nas variações mensais, segue variação mensal do café no gráfico abaixo.

Um dos principais insumos agrícolas que apresentaram elevação dos preços foram os fertilizantes. Este aumento foi reflexo dos entraves encontrados na produção de fertilizantes, reduzindo a oferta do mesmo, o que elevou os preços para os produtores adquirem seus insumos. O mercado de fertilizantes espera retração na produção, neste segundo semestre, o que pode causar agravamento desta elevação de preços.

Universidade Federal de Lavras •

Departamento de Administração e Economia •

DAE / UFLA • Caixa Postal 3037 • CEP 37200-000 • Lavras MG

Telefone: (35) 3829-1441 • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.